27.11.14

"Olhar e Explorar o Espaço" - encerramento do 2º Encontro "Aprender em Partilha"

O encerramento do 2º Encontro "Aprender em Partilha" foi feito pelo Professor Nelson Mestrinho, Docente do Departamento de Ciências Matemáticas e Naturais da Escola Superior de Educação de Santarém.


O Professor Nelson Mestrinho começou por agradecer o convite e elogiar a iniciativa, pois é um evento que junta os docentes dos vários níveis de ensino a partilhar estratégias de ensino.
Após o elogio, evidenciou as mais-valias das estratégias apresentadas pelos representantes dos vários departamentos.





Terminou, agradecendo, mais uma vez, o convite, pois, assim, foi possível compensar um pouco a disponibilidade que o Agrupamento de Escolas de Alexandre Herculano tem demonstrado em receber os alunos estagiários da Escola Superior de Educação de Santarém.



"Olhar e Explorar o Espaço" - Partilha do Departamento de Matemática

O 2º Encontro "Aprender em Partilha" contou, igualmente, com a participação do Departamento de Matemática que se fez representar pela sua coordenadora, Professora Isabel Carvalho.


Este Departamento partilhou as estratégias utilizadas na abordagem do conteúdo "Ângulos e Triângulos", mais especificamente, da desigualdade triangular, na verificação da relação entre os elementos de um triângulo e na soma das amplitudes dos ângulos internos de um triângulo.

 Assim, no 2º ciclo, pode ser apresentado um desafio.





 A professora Isabel Carvalho acrescentou que as palhinhas de refresco podem ser substituídas por barras de cartolina, palitos ou fósforos usados.Independentemente do material utilizado, o importante é a utilização de material manipulável, pois tem o objetivo de facilitar a elaboração e a validação de conjeturas, de modo a que os alunos enunciem a desigualdade triangular.

Quanto à verificação da possibilidade/impossibilidade de construção de triângulos, apresentou as seguintes estratégias:
1. Com material manipulável, colocar os alunos, em grupo, perante a situação de descobrirem em que casos não se obtém um triângulo.


Através da manipulação e experimentação, os alunos são levados a formularem conclusões.


 Assim, esta tarefa, realizada em grupo, permite:
 - discutir os casos de possibilidade na construção de triângulos;
- compreender que, num triângulo, qualquer lado é menor que a soma dos outros dois.

Um outra estratégia é a utilização da plataforma de software GeoGebra. De facto, a utilização desta ferramenta permite que os alunos, em pares frente a um computador, descubram relações entre elementos de um triângulo: ao maior lado (ângulo) opõe-se o maior ângulo (lado); a lados congruentes opõem-se ângulos congruentes.

Para terminar a sua apresentação, a professora Isabel Carvalho citou Abrantes, P. et al (1999):

"As ferramentas computacionais permitem a construção e manipulação de objetos geométricos e a descoberta de novas propriedades desses objetos, através da investigação das relações ou medidas que se mantêm invariantes"

De seguida, o Professor Luís Miguel Barreto, Subdiretor do Agrupamento de Escolas de Alexandre Herculano, representando o grupo do 3º ciclo,  abordou as transformações geométricas em triângulos utilizando o GeoGebra.


 Exemplificando as diversas atividades no GeoGebra, mostrou como se pode colocar os alunos a identificarem transformações geométricas: reflexão, translação, homotetia, rotação, reflexão deslizante, isometrias.














Assim, os alunos tiveram a oportunidade de experimentar e descobrir as propriedades das isometrias, ou seja, foi possível:
- Demonstrar que as translações são isometrias que preservam a direção e o sentido dos segmentos orientadores e saber que são as únicas que o fazem.
- Identificar uma reflexão deslizante.
- Identificar as imagens, por isometrias, de retas, semirretas e ângulos.
- Demonstrar que as isometrias preservam as amplitudes dos ângulos.
- Identificar todas as isometrias no plano: translações, rotações, reflexões axiais e reflexões deslizantes.

26.11.14

"Olhar e Explorar o Espaço" - Partilha do Departamento do 1º Ciclo

O 2º Encontro "Aprender em Partilha: Olhar e Explorar o Espaço" também contou com a participação do Departamento do 1º Ciclo que se fez representar pela docente Olga Farinha, coordenadora do Grupo dos Docentes do Apoio Educativo.


Esta docente iniciou a apresentação com um pensamento do matemático Freudenthal (1973): "A Geometria - como estudo das formas e das relações espaciais - oferece às crianças uma das melhores oportunidades para relacionar a Matemática com o mundo real".
Acrescentou ainda que, segundo Piaget, as representações mentais dos objetos físicos são o resultado de construções que se apoiam nas ações com os objetos e na coordenação dessas ações.Também citou Serrazina e Ponte, com a afirmação de que as relações espaciais são construídas por um indivíduo por um processo de interação com o meio.

Com base nestes pressupostos científicos, o grupo estabeleceu 3 objetivos para a construção da comunicação apresentada:
- salientar a necessidade de uma boa capacidade espacial;
- realçar a importância da manipulação no desenvolvimento dessa capacidade ;
- fazer uma amostragem de estratégias utilizadas no 1º ciclo, para a exploração do espaço.
Foi, então, apresentada uma sequência didática:
1.Observação do espaço envolvente.


2. Descrição do observado.

3.  Comparação entre o observado e objetos do dia a dia.

4. Exploração dos objetos do dia a dia (ex. jogos de manipulação: apalpar o sólido e identificar o objeto com o mesmo formato).

5. Representação de objetos observados.



Após a apresentação desta sequência didática, foram apresentadas outras tarefas para o desenvolvimento da capacidade espacial.

1.  Construção de sólidos geométricos.

2.  Planificação de sólidos geométricos.

3. Exercícios de representação de sólidos.


4. Construção da maqueta do bairro.

5. Fotografia da maqueta em plano elevado.

6. Desenho da planta do bairro.

7. Representação de circuitos vivenciados.

8. Representação de uma construção feita pelo professor.

9. Leitura de mapas.

10. Descrição e traçado de itinerários.

11. Observação de ângulos em construções.

12. Identificação de sólidos e de figuras geométricas em obras de arte.

13. Seriação e figuras geométricas, enunciando o critério utilizado.

14. Construção de figuras geométricas a partir de outras.

15. Desenho de uma figura mostrada no geoplano e depois escondida.

16. Construção de pavimentações.

17. Outras construções.













18.













19.


20. Realização de trabalhos baseados em artistas estudados.

21. Desenho com linhas retas.

22. Recorte dos polígonos.

23. Seriação.

24. Identificação das coordenadas de figuras numa grelha quadriculada.

25. Desafios para aplicação dos conhecimentos.

26. Descoberta de diferenças entre duas figuras.

27. Descoberta dos pormenores que pertencem a uma figura.

28. Resolução de labirintos.

29. Identificação de figuras iguais, em posições diferentes.

Para terminar a apresentação, foi escolhida uma frase de Lichtenberg:

"O que se é obrigado a descobrir por si próprio deixa um caminho na mente que se pode percorrer novamente sempre que se tiver necessidade".

25.11.14

"Olhar e Explorar o Espaço" - Partilha do Departamento do Pré-Escolar

O 2º Encontro "Aprender em Partilha: Olhar e Explorar o Espaço" contou com a participação do Departamento do Pré-Escolar que se fez representar pela sua coordenadora de ciclo.


Na sua apresentação, a docente Aurélia Gaivoto referiu algumas estratégias utilizadas, no pré-escolar, no âmbito da geometria.
 
1. A manipulação de objetos no espaço e a utilização de materiais diversificados facilita a construção de ideias e conceitos geométricos.

2. Observar e manipular formas geométricas contribui para o desenvolvimento da capacidade de reconhecimento dessas formas.


3. Construir com material moldável: barro, papel e cartão. Durante a realização desta atividade vão-se colocando questões sobre as formas obtidas, a representação das mesmas e as suas características, estabelecendo-se semelhanças e diferenças entre elas.


4. Alguns artistas plásticos servem de mote para a realização de tarefas ligadas à geometria.








5. Especificar localizações e descrever relações espaciais.
6. Recorrer a dados de localização, procurar elementos no espaço (ruas da aldeia), descrever, analisar a posição de objetos, representar e interpretar itinerários.

7. Fazer percursos.

8. Fazer a representação oral e gráfica desses percursos.

9. Descobrir labirintos em exercícios no PC ou em papel.

10. Explorar o espaço de forma lúdica, recorrendo a diversos materiais, levando as crianças a adquirirem noções: em cima/em baixo; dentro/fora; ao lado; à frente/atrás; esquerda/direita; longe/perto; aqui/lá.

11. Resolver exercícios com o Tangran a partir de modelos diversos.

 Também foram apresentados alguns livros a partir dos quais se pode trabalhar no âmbito da geometria.

23.11.14

Inauguração da Exposição "Pequeno Grande C"

No passado dia 20 de novembro, pelas 10 horas e 30 minutos, foi inaugurada a exposição "Pequeno Grande C" com a presença da Professora Margarida da Franca, diretora do Agrupamento de Escolas de Alexandre  Herculano, assim como das turmas 5ºB e 5ºF que integram os alunos que no ano letivo 2013-2014 concorreram ao Concurso Pequeno Grande C.
Na cerimónia deu-se a conhecer as entidades que promoveram o concurso, deu-se visibilidade ao trabalho que antecedeu a construção da  obra premiada do nosso Agrupamento, "Os três desejos da Mariana", enquadrou-se a exposição e abordaram-se os direitos de autor.
Posteriormente, as alunas premiadas levaram o troféu e acompanharam a Professora Margarida da Franca a fim de o depositarem junto de outros troféus e de outros documentos que constituem património da Escola Alexandre Herculano.


21.11.14

Exposição Pequeno Grande C

Até ao dia 2 de dezembro estará exposto no átrio da biblioteca na Escola Básica de Alexandre Herculano a Exposição do concurso "Pequeno Grande C".
Esta exposição, no nosso Agrupamento, tem vários objetivos:
1. Destacar a obra premiada Os três desejos da Mariana, pois foi realizada pelas alunas Margarida Garrido, Carlota Rodrigues e Inês Laureano, atualmente alunas a frequentarem o 5º ano de escolaridade na Escola Básica de Alexandre Herculano. Contudo, quando concorreram eram alunas da T.6 da Escola Básica de São Domingos.
 




2. Divulgar uma outra obra representante da Escola de São Domingos, esta dos alunos do 4º ano da T. 5 no ano letivo 2013-2014.


3. Dar visibilidade às 16 obras premiadas no concurso "Pequeno Grande C", entre as 254 concorrentes.

/>

19.11.14

Recordando Bernardo Santareno


Retrato pintado pela docente Júlia Pereira com lápis de grafite



Hoje, dia 19 de novembro, comemora-se o nascimento de Bernardo Santareno, pelo que a Equipa da Biblioteca Escolar lembra a data com uma pequena exposição.

Bernardo Santareno é o pseudónimo literário de António Martinho do Rosário. Nasceu no dia 19 de novembro de 1920 e faleceu no dia 29 de agosto de 1980, em Oeiras, com 59 anos de idade.

Estudou no Liceu Sá da Bandeira até 1939 e formou-se em Medicina Psiquiátrica na Universidade de Coimbra.










Como médico, embarcou em navios bacalhoeiros.

A sua experiência no mar serviria de inspiração a muitas das suas obras.

Começou por publicar três livros de poesia e só posteriormente se revelou como autor de teatro.

Bernardo Santareno foi distinguido por três vezes com o Prémio Imprensa.





Além da exposição, também está a passar na biblioteca, ao longo da semana, uma apresentação digital com a biografia de Bernardo Santareno, gentilmente cedida pela Câmara Municipal de Santarém.





Esta é a homenagem da Equipa da Biblioteca Escolar da Escola Básica de Alexandre Herculano ao maior dramaturgo português do século XX.

10.11.14

Amostras para Ler+

Estudos recentes sobre o cérebro e a leitura de Teresa Silveira (2013) revelaram que o cérebro humano nasce com estruturas que possibilitam a leitura, contudo para que cada pessoa se torne um leitor competente é indispensável a ativação de circuitos neuronais que só se formam se houver contacto frequente com livros e uma prática continuada de leitura, desde a infância.
Assim, uma das etapas de ativação desses circuitos decorre entre os 6 os 12 anos de idade. É, também, determinante a prática intensa de leitura para a ativação dos circuitos que estão na base de toda a aprendizagem.
Tendo por base este estudo, a RBE lançou o projeto "Amostras para Ler+" com dois objetivos:

- Criar momentos, na sala de aula, especificamente destinados a apoiar os alunos na escolha livre de obras para leitura pessoal e autónoma.

- Incentivar a frequência da biblioteca escolar pelos alunos, bem como a requisição de livros e a multiplicação de experiências de leitura.

Neste sentido, a professora bibliotecária da EB de Alexandre Herculano tem vindo a dinamizar sessões para a promoção do contacto com o livro. As turmas participantes foram o 5ºB, o 5ºC e o 5ºD.

Num primeiro momento, a turma era dividida em pequenos grupos.

Cada grupo tinha à sua disposição um conjunto de livros.



Cada elemento do grupo escolhia um livro.










Após a escolha do livro, pensava numa pista sobre o mesmo.














Escreviam uma pista para cada livro escolhido.


Num segundo momento, colocaram-se os livros todos numa mesa.


O registo das pistas foi trocado entre os grupos. Agora, havia que descobrir o livro pelas pistas escritas pelos colegas do outro grupo.


Sophia de Mello Breyner Andresen

 No dia 6 de novembro de 1919, no Porto, nascia Sophia de Mello Breyner numa família aristocrática de ascendência dinamarquesa e faria este ano 95 anos se ainda fosse viva.

Em homenagem a Sophia de Mello Breyner Andresen montámos, na biblioteca, uma pequena exposição com algumas das suas obras, poemas e citações.










Recordemos um poema seu.

Escuto

Escuto mas não sei
Se o que oiço é silêncio
Ou Deus

Escuto sem saber se estou ouvindo
O ressoar das planícies do vazio
Ou a consciência atenta
Que nos confins do universo
Me decifra e fita

Apenas sei que caminho como quem
É olhado amado conhecido
E por isso em cada gesto ponho
Solenidade e risco.
       in Geografia

 


9.11.14

Dulce Rodrigues - uma autora portuguesa com certeza


Foi com enorme alegria que recebemos notícias da autora Dulce Rodrigues. Mais uma vez, notícias que nos orgulham em termos uma representante da língua portuguesa com tanto valor.

Apresentação do livro

Assim, após a presença no Salão do Livro de Genebra no dia 30 de abril, um encontro com alunos portugueses em maio na Médiathèque de Sion e outro na Biblioteca Infanto-Juvenil de Lausanne.
A 14 de junho, deslocou-se a Lisboa à Feira do Livro para uma sessão de autógrafos, em colaboração com o Sítio do Livro que tem a venda do seu livro infanto-juvenil Era uma vez uma Casa.

  

Em setembro, voltou de novo à Suécia para participar no Salão do Livro de Gotemburgo, uma iniciativa de Jô Soares e Carolina Axelsson. Aqui o livro de Dulce Rodrigues em destaque foi Father Christmas has the Flu que também existe em livro biblingue francês/português e em e-book em português. A ação desta peça de teatro infanto-juvenil passa-se na Suécia.




 No dia 4 do passado mês de outubro, foi homenageada com o Prémio Excelência 2014 pela Literarte e pelo Círculo de Escritores Moçambicanos da Diáspora, que reúne artistas autores de diversas vertentes e entidades culturais dos países de língua portuguesa. A cerimónia teve lugar no museu do Oriente em Lisboa e foi presidida por Izabelle Valladares (Literarte) e Delmar Gonlçalves (CEMD).


A Equipa da Biblioteca Escolar da Escola Básica Alexandre Herculano deseja-lhe as maiores felicidades e muitos sucessos literários.

7.11.14

"Os Poupadinhos" do JI do Choupal

"Os Poupadinhos" é a designação do Projeto que está a ser desenvolvido no Jardim de Infância do Choupal com o objetivo de desenvolver, nas crianças, conhecimentos, capacidades, atitudes, valores e comportamentos de futuros cidadãos "financeiramente mais capazes".
Assim, no âmbito da comemoração do Dia Mundial da Poupança, foi criada uma boneca/mascote, a "Dona Poupadinha", com dados pessoais (necessidades/desejos/rendimentos), que servirá de elo de ligação e de dinamização das várias atividades inseridas neste projeto.




Esta "menina" tem uma carteirinha que a acompanha diariamente e, posteriormente, vai servir para a apresentação do dinheiro.
Também foi criada uma canção para/com ela.