24.11.15

1ºEncontro "Aprender em Partilha" 2015-2016


Dando continuidade aos Encontros de Professores iniciados no passado ano letivo, realizar-se-á no próximo dia 26 de novembro, quinta-feira, pelas 16 horas e 30 minutos no auditório da EB Alexandre Herculano, o 1ºEncontro "Aprender em Partilha", denominado "À Descoberta de Saberes e de Culturas".
Será uma abordagem às iniciativas propiciadoras de um articulação transversal dos currículos.

Convite construído pelos alunos do V91, no âmbito da disciplina Tratamento Digital de Imagem

A criatividade da Rita Durão

"Imagina um local, onde não gostes de estar, transformado num sítio fantástico".
Ora leiam o que a Rita imaginou...
Espero que se divirtam tanto a ler como a Rita se divertiu a escrever.

Uma onda de frescura

O quê? O que é isto? Já não estou no meu quarto? Aquilo ali é o quê?
Hhhhaaa!!!!! Um leão...e magro como está, esfomeado estará...
Nããão...não bastava o leão, também estou rodeada de cobras amarelas, laranjas...Nããão.
Deixa-me fugir...é para isso que quero as minhas ricas perninhas...
Ufff!!!Tenho o coração a bater a cem à hora...a cem? Não, a cento e oitenta, duzentos, sei lá.
Areia...água...ufffff...subo para esta rocha e estou salva...nããão...a rocha está a mover-se...nããão...é um crocodilo...
Saltei mesmo a tempo para a água...que bocarra e que dentes tão afiados....
Hhhhaa!!!!Piranhas com dentes triangulares e são equiláteros!!!
Naaaaaaaadem! Braços e pernas, nadem!
Que faço agora? Corro para onde? Quem me ajuda?
De repente, vejo uma onda enorme a elevar-se no ar e a arrastar consigo todos os animais que me rodeavam. No céu surge uma aurora boreal e com ela aparecem rouxinóis que entoam uma linda melodia.
Foi uma onda de frescura que transformou a ilha do terror numa ilha de ballet.

Pintura feita pela Rita como ilustração do texto criado

23.11.15

Juntos por Príncipe

Tendo conhecimento do projeto "Juntos por Príncipe", através da professora Luísa Burnay, a equipa da Biblioteca Escolar tomou a iniciativa de escolher alguns livros para serem enviados para a Ilha de Príncipe.
Entre manuais, livros técnicos e literatura juvenil está o nosso carinho e a nossa esperança de que este projeto seja um grande sucesso.

Para quem quiser seguir a página desta iniciativa, aqui fica o link. 
https://www.facebook.com/juntosporprincipe/

19.11.15

Recordando Bernardo Santareno

Retrato pintado pela docente Júlia Pereira
Hoje, dia 19 de novembro, comemora-se o nascimento de Bernardo Santareno, pelo que a equipa da Biblioteca Escolar recorda a data com uma pequena exposição alusiva ao maior dramaturgo português do século XX.





17.11.15

A caminho da construção de narrativas

A tarefa da Diana Barreto foi procurar a imagem de uma pessoa em revistas para de seguida construir a sua identidade:
- nome
- estado civil
- dados familiares
- datas/acontecimentos importantes na sua vida
- profissão/ situação profissional
- coisas que gosta muito de fazer
- coisas que detesta fazer
- principais qualidades
- principais defeitos
- em que gosta de ocupar o tempo, quando não está a trabalhar.





Hoje tivemos mais um elemento na Oficina e Escrita: a Ana Carolina. Esta aluna esteve a realizar o trabalho de pesquisa em várias obras literárias: inícios e finais de histórias, personagens, objetos, locais/ espaços e estados do tempo.

Na próxima semana, teremos a construção de narrativas.

Escrita Criativa - Tiago Figueiredo

"Imagina um local, onde não gostes de estar, transformado num sítio fantástico".
O Tiago pensou e depressa imaginou...

Hospital

Pessoas muito doentes
Muito pouco resistentes
Começam a voar
de muito bem estar.

Pessoas internadas
Com as vidas paradas
Começam-se a levantar
Fartos de na cama estar.

Fazem-se cirurgias
Com muitas hemorragias
A dor deixa de se sentir
E começam-se a rir.

A sala de espera
deixa de ser como era.
Com várias alterações
como um parque de diversões.

No hospital odeio estar
mas não há que enganar
que com estas mudanças
aqui adoro ficar.

No final da construção do poema, o Tiago apreciou obras de alguns Mestres da Arte e valorizou as esculturas multicolores de José de Guimarães.


Por fim, representou o seu poema através da pintura.


Parabéns, Tiago!

Escrita Criativa - Rafael Raimundo

Perante a proposta: "Imagina um local, onde não gostes de estar, transformado num sítio fantástico", o Rafael Raimundo optou por escrever um poema.

O centro da Cidade

No centro da cidade
eu não gosto de estar.
Há milhares de carros
a poluir o ar.

Mas o centro da cidade
eu posso transformar.
Com um pouco de imaginação
os carros hão de parar.

As nuvens vou afastar
para podermos respirar
Felizes e divertidos
continuaremos a sonhar.

Os carros virarão borboletas
A chuva irá parar
e o centro da cidade
bonito irá ficar.

As pessoas surpreendidas
de boca aberta irão ficar
quando virem lindas árvores
a nascer em qualquer lugar.

Os animais, contentes
pela rua irão andar
quando virem que não há carros
que os possam atropelar.

Mas enquanto os ministros não perceberem
que o mundo podem mudar
o melhor que podemos fazer
é continuar a sonhar.

No final da construção do poema, o Rafael foi convidado a folhear alguns livros da enciclopédia Os Mestres da Arte e a escolher uma pintura que melhor representasse o seu poema.
O Expressionismo, representado em vários quadros de Van Gogh e de outros pintores, cativou o Rafael.
Por fim, representou através da pintura o seu poema.


Parabéns, Rafael!


16.11.15

10ª Edição do Concurso Nacional de Leitura

 Já teve início mais uma edição do Concurso Nacional de Leitura, a 10ª Edição.
Assim como nos anos anteriores, o Plano Nacional de Leitura (PNL) articula com a Rede de Bibliotecas Escolares (RBE),  a Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB), o Camões IP e a RTP.
A participação no concurso está aberta aos alunos do 3ºciclo do Ensino Básico e Ensino Secundário.
Seguindo o regulamento,  já escolhemos as obras a serem lidas na Escola Básica Alexandre Herculano.
 

A prova de apuramento na escola será no próximo dia 18 de jameiro de 2016. Até lá, boas leituras.

Para quem queira saber mais informações sobre o Concurso, fica aqui o Regulamento.



14.11.15

À descoberta da criatividade na escrita - 2ª Sessão

A palavra "vida" surge em muitas expressões nas mais diferentes situações:
"tens uma vida pela frente"
"é uma criança com muita vida"
"mete-te na tua vida"
" vida tem altos e baixos"
"é assim a vida"
...
Mas, afinal o que é a vida?

Hoje na oficina de escrita, os alunos do 6º ano foram desafiados a recortarem várias imagens de revistas para de seguida fazerem uma composição com a colagem dos vários recortes, de acordo com o título

"É a vida"
 

Assim,  utilizámos a imagem como elemento desencadeador da criatividade.

O Tiago Figueiredo e o Rafael Raimundo, após terem feito a sua montagem de recortes, sentaram-se numa mesa junto à janela e entre um olhar pela paisagem...

 ...e a observação atenta das imagens coladas, foram surgindo as palavras, os versos, as rimas...o poema.

 É a Vida


A vida é tão bem vivida
Até que ficamos com sede
E precisamos de uma bebida.

A vida é divertida
Mas precisamos de comida.

Uf! Estou estoirada!
Diz a minha mãe abalada
Tenho a vista tão cansada
E os dedos a arder
De tanto escrever.
É a vida!

A vida pode ser dançada
e muito organizada.
Até pode ser lida
"É a vida".
            Tiago Figueiredo



 É a Vida

A vida é uma alegria
Que é feita de estudar
Muita gente numa sala
Sempre, sempre a trabalhar.

A vida é uma alegria
que é feita de cozinhar
para sempre termos
bom almoço e bom jantar.

A vida é uma alegria
que é feita de sonhar
uma casa de sonho
bem à beira-mar.

A vida é uma alegria
que é feita de amizade
quando nos separamos
temos sempre muita saudade.

A vida é uma alegria
que é feita de brincar
chama os teus amigos
quem será o melhor a apanhar?

A vida é uma alegria
feita para amar
alguém sempre ao teu lado
em que podes confiar.

A vida é uma alegria
que é feita para pensar         
pensa duas vezes
antes de me chatear.
                               Rafael Raimundo

Quanto à Rita Durão, foi viajando entre as páginas das várias revistas e escolhendo as imagens reveladoras do seu "eu"...
 A minha vida é assim...




É assim a minha vida
Cheia de adrenalina
Como a avó Francelina.

É assim a minha vida
Sempre muito colorida
Basta olhar para esta fila
e ver a minha mochila.

É assim a minha vida
Uma alegre correria
Sou desportista
Todo o santo dia.

É assim a minha vida
Adoro ver o mar
E gosto de me mascarar.

É assim a minha vida
Com muita música no ar
Só me apetece dançar.





Em relação à Diana Barreto, aluna do 5ºano, o desafio foi outro: viajar por algumas obras literárias à sua escolha.
A Menina do Mar e A Fada Oriana, da autoria de Sophia de Mello Breyner Andresen, foram as obras escolhidas.
A viagem pela leitura das narrativas das obras escolhidas serviu para identificar e registar:
- personagens
- locais/espaços onde decorre a ação
- estados do tempo
- objetos importantes para o desenrolar da ação.

Além desta tarefa, ainda teve tempo para realizar uma pesquisa de onomatopeias em livros de banda desenhada, registá-las e identificar o significado de cada uma delas.

Todas estes registos serão utilizados numa próxima sessão aquando da construção de uma narrativa.
Efetivamente, a melhor maneira de desenvolvermos a criatividade nas crianças e jovens é fugir de lhes dar uma folha em branco.

12.11.15

Livros Novos na Biblioteca

Hoje chegaram à biblioteca mais alguns livros...
Falas Português? é um manual de ensino do Português para alunos estrangeiros, da autoria de Luísa Bacelar e Sónia Junqueira e com revisão científica de Rui Vaz.
Este livro publicado pela Porto Editora "fornece as ferramentas necessárias para comunicar em situações do dia a dia.
- vocabulário temático organizado por aulas;
- estruturas gramaticais explicadas com recurso a inúmeros exemplos claros;
- conteúdos culturais que revelam ao utilizador os costumes do nosso país;
- documentos de sistematização esclarecedores e imprimíveis".


Puxar a brasa à nossa sardinha, da autoria de Andreia Vale, é uma obra em que a autora dá a conhecer a origem de algumas expressões idiomáticas que fazem parte do património linguístico e cultural de todos nós.


Maria vai com as outras - "A expressão tem origem na doença mental da rainha D. Maria I (mãe de D. João VI, avó de D. Pedro I e bisavó de D. Pedro II), que enlouqueceu, diz-se de um dum dia para o outro e foi declarada incapaz de governar e afastada do trono português. A sua história inspirou esta expressão  - ser uma Maria vai com as outras - , que significa que uma pessoa não tem opinião ou vontade própria. Por causa da doença, D. Maria I passou a viver recolhida e só era vista rodeada pelas aias que a guiavam e amparavam. O povo comentava: D. Maria lá vai com as outras. E a expressão ficou, já lá vão mais de 200 anos...".


Também comprámos mais alguns exemplares da obra Leandro, Rei da Helíria, da autoria de Alice Vieira. É uma obra recomendada pelo Plano Nacional de Leitura para o 7ºano, destinado a leitura orientada.


11.11.15

7.11.15

Biblioteca Digital

Biblioteca Digital é um espaço online gerido pela Fundação Calouste Gulbenkian.
Neste espaço podem ser lidos ou ouvidos livros digitais para diferentes idades, assim como também estão disponíveis outros recursos.

Para visitar o site, clique na imagem

Sugestão para um passeio cultural: Casa-Museu Anastácio Gonçalves

Situada na Avenida 5 de Outubro, em Lisboa, está a Casa- Museu Anastácio Gonçalves ou a Casa de Malhoa. Segundo o site Ensina RTP, "neste museu há pintura portuguesa, raras porcelanas da China, mobiliário de outros séculos. São duas mil obras colecionadas pelo Dr. Anastácio Gonçalves que habitam a casa mandada construir pelo pintor Malhoa em 1904".

Visite o site Ensina RTP e veja um vídeo ilustrativo desta casa-museu, clicando na imagem


Dia Europeu da Alimentação e da Cozinha Saudáveis

Amanhã, 8 de novembro, celebra-se, nos Estados-membros da UE, o Dia Europeu da Alimentação e da Cozinha Saudáveis. A criação deste Dia surgiu no âmbito de uma campanha da Comissão Europeia para combater a obesidade, incentivando os cidadãos da União Europeia (UE) a optarem por um regime alimentar equilibrado e a fazerem mais exercício físico.

Para lembrar este dia, levámos para a biblioteca alimentos saudáveis.


 No site da Associação Portuguesa dos Nutricionistas encontramos artigos e diferentes materiais, entre eles alguns ebooks dos quais deixamos aqui o link.


Para ler o ebook clique aqui

Também estão disponíveis no mesmo site, alguns jogos didáticos sobre alimentação.

Para ver o ebook, clique aqui

Concurso SuperTmatik

Consultem as várias competições, os escalões e os níveis de jogo.


3.11.15

À descoberta da criatividade na escrita - 1ª Sessão

Hoje, ao fim da tarde, teve início a Oficina de Escrita que terá continuidade nos próximos dias 10, 17 e 24 de novembro.
O primeiro desafio foi partirem à descoberta das expressões utilizadas pelos vários autores para iniciarem as suas histórias.


Assim, descobriram que além da expressão "Era uma vez", muitas outras são utilizadas.

- Era o dia...
- Tu deves ser tu...
- O campo estava, como habitualmente...
- Por momentos... 
- Quando, pela primeira vez...
- Há duas espécies de ...
- Não sei se...
- Ching-Ling era uma menina...
- Trocaram-me de mãe no...
- O Sr. Martins não estava...
- Noutros tempos...
- Numa manhã de verão...
- Um dia...
- Na orla de um grande bosque...
- Um pai tinha...
- Um dia...
- O campo estava...


- Há na China...
- Em fevereiro...
- Num dos importantes...
- Esta história...
- Quando vivi...
- Uma de muitos...
- Nas traseiras...
- Quando eu ia...
- Passa-se isto...
- Um ouriço-cacheiro
- A dada altura...
- No peitoril...
- Quanto mais...
- Uma raposa...
 ...


Um outro desafio foi construírem um poema com sonoridade combinando letras e números, com o título
 "Alimentação Saudável".

Em busca de palavras com o mesmo som dos números de um até dez, a Diana Barreto escreveu o seguinte poema:
 
Um, é saudável comer atum.
Dois, não como bois.
Três , compraste arroz chinês?
Quatro, adoro arroz de pato.
Cinco, a sopa hoje é canja de pinto.
Seis, não vou comer pastéis.
Sete, o jantar é carne com esparguete.
Oito, não posso comer biscoito.
Nove, tanto comeu que não se move.
Dez, detesto canapés.



Quanto ao João Nascimento, escreveu o poema que se segue:

Um, adoro atum.
Dois, não como bois.
Três, vamos ao chinês?
Quatro, eu gosto de arroz de pato.
Cinco, eu não como pinto.
Seis, comi os últimos pastéis.
Sete, eu gosto de esparguete.
Oito, o cão gostou do biscoito.
Nove, tanto comeu que não se move.
Dez, não sei o que são canapés.

Para o Rafael Raimundo e Tiago Figueiredo o desafio foi outro.
Após leitura de um texto que abordava alguns problemas da civilização moderna, tais como o stress do trânsito e a falta de espaço, tiveram de abordar o problema do trânsito intenso sobre uma perspetiva diferente.
Para descrever o trânsito intenso, o Rafael imaginou...

Os carros, quando andam em estradas direitas são como uma linha reta, ou seja, sem princípio nem fim.

O colorido dos carros nas longas filas parece o lenço mágico que sai do bolso do ilusionista.

Também em relação ao trânsito, o Tiago imaginou...

Os carros parecem peças de dominó prestes a cair quando a primeira peça andar.

A longa fila de carros, quando andam em estradas de uma só faixa, parece  uma serpente à procura da presa no meio do mato.


Parabéns pelo entusiasmo com que participaram na Oficina de Escrita, ao final de um dia de aulas.