18.3.15

Palavras e Poemas à Solta na EB de Alexandre Herculano

Na EB de Alexandre Herculano, as palavras e os poemas deram um colorido diferente...

Nas escadas de acesso à Biblioteca, escreveu-se o poema "Viajar pela leitura" de Clarice Pacheco.





Um pinheiro serviu de inspiração ao professor Gustavo Faria e em algumas plantas nasceram folhas poéticas.



Pediram-me que descrevesse
Aquela árvore e a sua beleza

De tão linda que ela é
deixa-me na incerteza.

Penso não estar à altura
De uma precisa descrição
Olho para a árvore e é grande
Perco-me na imensidão.

Sento-me à sombra e descanso
E esqueço-me da minha missão
Fecho os olhos e adormeço
Acordo: Ah! A descrição!

“Esta árvore é grande e bela
Mas os seus frutos são pequeninos
Vejo algumas lagartas bonitas
Mas fazem mal aos meninos

As suas folhas são pontiagudas
O seu tronco é alto e reto
No Natal levam-nas para casa
Algumas chegam ao teto”.

Mas eu acho que não deviam fazê-lo
Quando a cortam, a árvore morre
A árvore vive em silêncio
Não se queixa, ninguém a socorre.

Desculpa, querida árvore
Por aqueles que te fazem mal
Mesmo que a sua intenção
Seja só celebrar o Natal

Voltemos à minha tarefa
De fazer uma descrição
“Às tuas folhas chamamos caruma,
ao teu fruto, pinhão.”

Este fruto é muito bom
Pena custar tanto dinheiro
(Ai! Estou sempre a desviar-me…)
O nome da árvore é: pinheiro!

Não sei se cumpri ou não
A missão de te descrever
Não sei que nota me vão dar
Olha, nem quero saber.

Aquilo a que dou valor
É ao tempo que aqui passei
Ofereceste-me a tua sombra
Eu sentei-me e descansei.

                               Gustavo Faria

No refeitório, passou um PowerPoint com poemas.



À sobremesa serviu-se poesia e pensamentos sobre a leitura.



Sem comentários:

Publicar um comentário