2.3.17

Recordando Vitorino Nemésio...

Hoje, 2 de março, recordamos Vitorino Nemésio...

Imagem retirada do site Almanaque Republicano

A Tempo

A tempo entrei no tempo,
Sem tempo dele sairei:
Homem moderno,
Antigo serei.
Evito o inferno
Contra tempo, eterno
À paz que visei.
Com mais tempo
Terei tempo:
No fim dos tempos serei
Como quem se salva o tempo.
E, entretanto, durei.

                             Vitorino Nemésio



Foi em verso que Odylo Costa Filho retratou Vitorino Nemésio.

Retrato de Vitorino Nemésio

Era um homem das ilhas, dos Açores,
que tocava violão. Tocava bem.
Talvez faltassem todos os rigores
do virtuosismo artístico. Porém

nesse improviso havia tal encanto,
tal à vontade, que era, na verdade,
como se a gente lhe escutasse um pranto,
um grito, uma alegria, uma saudade...

E havia tanto que aprender com ele!
Era um amigo sem comparação...
Contava tudo. Até de uma cabrinha

falou num verso...Que poeta aquele!
De repente me vem do coração
a última vez de sua mão na minha.


Quanto ao jovem poeta, escolhemos Rafael Vieira e o seu poema "O Amor".

O Amor

O amor! Quem o sente,
esquece-se logo da dor!
O amor é o que nos faz sonhar,
para podermos começar a namorar.

É rápido: só um olhar
e depois vamos para casa cantarolar
É "não querer mais do que bem querer"
Pois, mas é difícil de dizer.

Agora o poema vai acabar.
Eu sei que não queriam,
mas tem de terminar.

                        Rafael Vieira
                    EB Alexandre Herculano

Sem comentários:

Publicar um comentário